Água micelar – para que serve? Ver produtos

Olá, meninas!

Espero conseguir tirar-vos todas as vossas dúvidas relativamente às águas micelares.

A água micelar é uma solução de limpeza que recorre a moléculas com propriedades lipofílicas e hidrofílicas (solúveis em lípidos e em água), que agem por absorção e arrastamento das impurezas, permitindo uma limpeza suave, sem agredir a barreira cutânea.

Ás águas micelares têm se tornado uma boa alternativa a produtos de higiene do rosto, principalmente para quem usa uma maquilhagem leve, que sai facilmente. Uma maquilhagem pesada exige um desmaquilhante para não ficarem resíduos.

Removem impurezas, inclusive a maquilhagem (excepto à prova da água), sem agredir a pele. Além disso, como são isentas de álcool ou outros agentes irritantes, são apropriadas para peles sensíveis.

Embora as marcas digam que não é preciso passar um disco com água no final da limpeza com água micelar, eu aconselho que o façam e que retiram os vestígios da água micelar, pois existem detergentes que não devem atuar na pele mais tempo do que o suposto.

Atualmente existem águas micelares para todos os tipos de pele, desde a pele oleosa à pele seca.

É uma óptima opção para quem gosta de praticidade!

Anúncios

Porque é que os médicos recomendam o creme Nivea (lata azul)?

Olá!25_1_1_png.png

Certamente já foram a um médico que vos disse que o creme Nivea (lata azul) era o melhor creme hidratante.

Já pensaram se existe um motivo para tal? Já observaram os ingredientes? Se temos o creme Nivea (lata azul), porque é que  milhares e milhares de pessoas gastam dinheiro em cremes 5 ou 10 vezes mais caros?

Vamos analisar os ingredientes para tentar responder a estas questões?

Primeiro, é importante referir que o creme Nivea (lata azul) se trata de uma emulsão de água em óleo. Segundo a marca, a quantidade de água existente é cerca de 70%. Por isso, o primeiro ingrediente que encontramos é precisamente a água, cujo principal papel é de solvente.

Outro facto que é importante ter em consideração é que os cosméticos hidratantes exercem a sua atividade através de dois mecanismos de hidratação diferentes:

Hidratação por fixação de água endógena – repor a função da película hidrolipídica através de produtos que evitam a evaporação excessiva da água. Exemplo:

  • hidrocarbonetos: vaselina; peridroesqualeno;
  • ceras e os seus derivados sintéticos, como a lanolina;
  • óleos vegetais hidrófilos: óleo de amêndoas doces, gérmen de trigo, argão, álcoois gordos cetílicos e estearílicos.

 

Hidratação por fixação de água exógena – recorre a produtos higroscópicos e humectantes. Exemplo:

  • polióis hidrossolúveis (glicerol, sorbitol, propilenoglicol, poliglicóis);
  • ácido pirrolidona carboxílico, lactato de sódio e ureia;

Vamos então aos ingredientes:

IMG_5004.JPG

Água – solvente

Paraffinum Liquidum –derivado de petróleo. Tem propriedades emolientes e lubrificantes. Não possui qualquer valor nutritivo, nem é absorvido pela pele. Apenas lubrifica superficialmente a derme, evitando a perda de água, o que quer dizer que dá apenas uma falsa sensação de hidratação. Além disso, acumula-se na pele, obstruindo os poros (ação comedogénica) predispondo para a formação de borbulhas. É um ingrediente muito barato, daí ser usado largamente em cosmetologia.

Cera microcristalina –  é um derivado do petróleo e possui caraterísticas semelhantes aos restantes derivados, como o descrito acima. Tem efeito oclusivo na pele, o que, por um lado, tem uma grande vantagem, pois evita a evaporação de água através da epiderme.

Glycerin – alto poder higroscópico (poder de absorver água), que em ambientes húmidos se torna altamente vantajoso, pois é capaz de absorver a água do ar que respiramos, conferindo ao creme alto poder de hidratação.

Lanolin Alcohol – altamente emoliente, suavizando pele e diminuindo a perda transepidérmica de água. Alto nível de hidratação. Protege e repõe os lípidos perdidos com as agressões diárias por sabões e detergentes. Forma películas protetoras sobre as superfícies tratadas, protegendo-as de maneira não oclusiva.

Parafina – derivado do petróleo, partilhando as mesmas desvantagens e características dos restantes derivados.

Panthenol – Álcool precursor da vitamina B5.  Estimula renovação celular. Ação hidratante e humectante.

Magnesium sulfate – Regulador da troca de água entre as células e o meio externo, auxiliando na absorção de nutrientes e promovendo a eliminação de toxinas e ativação da circulação sanguínea.

Decyl Oleate – Principalmente utilizado como um lubrificante. Cria uma película fina, não-gordurosa, que confere à pele uma aparência suave e macia.

Octyldodecanol – Emoliente. Pode provocar irritação.

Aluminum Stearates – Agente estabilizador da emulsão. Propriedades lubrificantes.

Citric Acid – Agente químico que induz a renovação celular e possui forte ação antioxidante.

Magnesium Stearate – Função lubrificante.

Limonene,  Geraniol, Hydroxycitronellal, Linalool, Citronellol, Cinnamyl Alcohol– usados como fragância.

Benzyl Benzoate – pode ser usado como solvente e conservante. Pode ser irritativo. Pode ser usado como fragância.

Parfum

Conclusão?

É certamente o creme hidratante com o melhor custo-benefício, mas atenção, isto não faz dele o melhor creme. Ou seja, existem cremes com as mesmas características, mas mais caros, o que o torna, portanto, numa melhor opção, por ter um custo menor. Mas há cremes hidratantes muito melhores, sem dúvida, principalmente por não conterem ingredientes derivados do petróleo que são nocivos a longo prazo.