Quando começar a pintar o cabelo? Ajudaaaaaaa

Olá, meninas!

O post de hoje é a pedido de uma amiga do coração (vês, sou mesmo fixe para ti, miga)! E então qual é o tema? Colorações de cabelo.

Já não estamos a caminhar para novas e os cabelitos brancos começam a aparecer e teimam em ficar. Não tenho ainda razão de queixa, o único fio que encontrei era clarinho e continuo a achar que era loiro hahaha.

Mas nem toda a gente com a minha idade pode ter essa sorte e é precisamente sobre esta temática que irei falar hoje.

Como sabem, a genética é a grande responsável pelo aparecimento de cabelos brancos e quanto a isso não há nada a fazer. Podemos apenas esconder o “problema”, pintando o cabelo.

Mas será que se deve pintar o cabelo só porque se tem 5 ou 6 fios brancos? Em primeiro lugar, devemos, então, ter em conta a idade e os gostos pessoais de cada um. A partir do momento em que se começa a pintar com tinta permanente, geralmente, nunca mais se irá parar e, por isso, a questão que surge é: será que vale a pena começar tão cedo? Tem de se pesar os prós e os contras e analisar se de facto vale a pena. Se a decisão for começar a pintar, surge um novo problema: “que tipo de tinta?”.

Existem várias possibilidades:

Tinta permanente – penetra na fibra capilar, alterando o pigmento, sendo capaz de cobrir os fios brancos e clarear/escurecer a cor do cabelo.

Tinta temporária – apenas colora a parte externa dos fios, sendo aconselhada para quem deseja alterar a cor do cabelo, mas não está segura em relação à cor e ainda para quem quer disfarçar os primeiros fios brancos.

Tonalizante- age na superfície do cabelo e escurece os fios, pintando apenas cerca de metade dos fios brancos e é indicado principalmente para quem quer realçar a cor.

Henna – age apenas na superfície dos fios e está indicada para dar reflexos avermelhados ou acastanhados, não cobrindo os fios brancos.

Portanto, se tens entre 20 e 30 anos (ou mesmo até se já és mais velha) e se tens poucos fios brancos, não pintes com tinta permanente! Tem componentes agressivos para os fios, danificando-os! Além disso, um fio agredido é um fio que quebra com mais facilidade.  À medida que vai crescendo, vai quebrando e o comprimento vai ser sempre o mesmo (o que se ganha de um lado, perde-se do outro).  De qualquer das formas, seja curto ou comprido, o importante é ter fios saudáveis e bem tratados. Uma outra desvantagem é  o retoque da raiz que tem de ser mais frequente e é preciso usar produtos específicos de grande qualidade para cabelos pintados que à partida já são mais caros que os restantes.

Mas os dilemas não acabam aqui. Surge então a grande dúvida: “de que cor pintar?” Pois é, a vida de uma mulher é muito complicada. Se já achávamos que já tínhamos chegado ao cerne da questão, eis que surge um novo desafio. Sim, miga, vou ajudar-te, não te preocupes, mas não pode ser já já porque o post já vai longo e devemos resolver um problema de cada vez!

E assim me despeço com a esperança de te ter ajudado a enfrentar esse grande problema! Ahahaha.

Um grande beijinho para todas vós e em especial a uma das fãs nº 1 deste blog que só por acaso é minha amiga.

Anúncios